O que fazer em Setúbal em 3 dias

Setúbal está a apenas 40 km de Lisboa e possui praias lindas! Como todas as distâncias aqui de Portugal são curtinhas, essa não podia ser diferente. Você precisa apenas atravessar o Tejo e passar a Costa da Caparica, se estiver em Lisboa, é claro.

Nosso roteiro.

Nosso roteiro.

O roteiro que vou indicar a seguir, foi o que fiz para conhecer algumas das praias mais famosas. Como ele deu super certo e não me arrependi de nada, seguem as dicas:

Dia 1:

Saímos cedo de Lisboa para aproveitar o primeiro dia de praia e também para fugir de possíveis congestionamentos (já que fizemos a viagem na alta temporada, em pleno mês de julho).

Antes mesmo de chegarmos no hotel, que ficava no centro de Setúbal, paramos no nosso primeiro destino: o Portinho da Arrábida. É uma praia grande, de areia branca e mar bem verde (como não amar). Ela fica dentro da área do Parque Natural da Arrábida, para chegar lá é preciso subir uma pequena serra (e você pode fazer isso de carro) e descê-la a pé, já que o acesso dos carros só é permitido até um certo limite. Não se preocupe porque a descida não é longa e a vista é bem bonita.

 

Vista da praia da Arrábida.

Vista da praia da Arrábida.

Portinho da Arrábida

Portinho da Arrábida

Almoçamos por lá mesmo, em um restaurante que fica praticamente na areia chamado “O Zeca”. A comida era boa e o preço ok, com certeza mais caro do que encontramos nas cidades, mas como não havia muita opção (acho que eram três restaurantes ao todo) já imaginávamos que não seria tão barato. Cada prato saiu por mais ou menos dez euros, e isso é caro para Portugal.

Vista linda do restaurante.

Vista linda do restaurante.

Salada delícia do "Zeca" :p

Salada delícia do “Zeca” :p

Saímos de lá e fomos para o centro de Setúbal. A cidade é uma graça, vale muito à pena dar umas voltinhas. Ela já foi ocupada por romanos, por mouros e foi muito importante economicamente devido ao seu porto. Agora, essa é pra quem lembra das aulas de literatura hein, foi lá que nasceu o poeta português Manuel Maria Barbosa du Bocage…quem lembra? Aquele dos poemas eróticos e de escárnio, será que o nome Elmano Sadino os ajuda a lembrar algo? Rs Brincadeiras à parte, isso é uma das coisas mais intrigantes para quem é brasileiro e está em Portugal: entrar em contato com nomes que foram tão falados na escola e tentar lembrar de tudo. Eu sempre fico com uma coceira no cérebro enorme e me forço a lembrar o que aprendi, mas confesso que acabo apelando ao Google muitas vezes rs.

Bom, retomando ao roteiro: a praça do Bocage é bem agradável e estava bem movimentada à noite. A casa em que ele nasceu, atualmente, é um museu mas não conseguimos visitá-la. Caminhamos até o Convento de Jesus que data do século XV, novamente, já estava tarde e não entramos, mas vale a pena a visita mesmo que por fora. Jantamos por lá mesmo em um restaurante que servia pratos brasileiros (hehe acho que foi a saudade) chamado “Carnes do Convento” e ele é bem bom!

A praça do Bocage.

A praça do Bocage.

Convento de Cristo.

Convento de Jesus.

Dia 2:

Nosso destino era Tróia, uma península que fica logo à frente de Setúbal. Para chegar lá é preciso pegar uma balsa, existem dois tipos: a que leva veículos + passageiros (que é chamada Ferry) e a que leva apenas passageiros sem veículos (os Catamarans). Nós pegamos o Catamaran (6,20 euros para cada pessoa, ida e volta), se você estiver de carro e em duas pessoas, não compensa ir de Ferry porque o valor é mais elevado (24,50 o carro, ida e volta). Analise a melhor situação para sua viagem e a quantidade de passageiros e, para mais informações, consulte o site da Atlantic Ferries

Essa faixa de terra ao fundo já é Tróia.

Essa faixa de terra ao fundo já é Tróia.

Lembre-se também que cada tipo de balsa os deixará em lugares diferentes.

O trajeto para as praias, chegando pelo Catamaran, é super intuitivo. Passando o cassino e alguns restaurantes na marina, já se encontra o caminho de madeira. Ficamos na segunda praia, não escolhemos a primeira porque parecia um pouco lotada demais. Acertamos em cheio na escolha, pudemos aproveitar com bastante sossego a praia que é bem paradisíaca, super grande e de águas calminhas.

Praia de Tróia.

Praia de Tróia.

Praia de Tróia.

Praia de Tróia (no mesmo dia, porém com mais nuvens rs).

Almoçamos no bar da primeira praia, sinceramente, não lembro o nome e realmente não vale a pena indicá-lo. Caro e ruim :/ Talvez seja melhor voltar e almoçar em algum dos restaurantes da marina.

Dia 3:

Tínhamos apenas a manhã livre, então saímos cedo em direção à Sesimbra, que já é caminho de volta para Lisboa.

Ficamos na Praia da Califórnia, uma praia mais urbana que possui um calçadão por toda sua extensão. Ela é bonita, mas imagino que aos finais de semana deve ficar beeeeem cheia, como era uma segunda feira de manhã não tivemos problemas quanto a isso. Dentre as três que fomos, essa com certeza fica pra trás, mas é difícil competir com as outras duas.

Praia da Califórnia.

Praia da Califórnia.

Praia da Califórnia e o calçadão.

Praia da Califórnia e o calçadão.

Finalizamos a viagem no restaurante “O Velho e o Mar”, que fica bem em frente à praia. A especialidade dele é peixes e frutos do mar e é realmente muito bom. Um pouco mais caro do que o comum (se não me engano cada prato custava uns 15 euros) mas vale muito à pena mesmo!!!

Considerações finais:

Nós fizemos a viagem de moto (e é super tranquilo), mas sei que há trens (que em Portugal são chamados de comboios) que saem todo dia de Lisboa até Setúbal. O site da CP Comboios de Portugal é um pouco confuso rs, por telefone obtive informação que a passagem até Setúbal custa 9,60 euros. Há um tarifário disponibilizado no site, mas ele é difícil de se entender. Existem alguns tipos de bilhetes, a melhor coisa a fazer é obter informação na bilheteria da estação que tiver  (Sete Rios, Roma-Areeiro, Entrecampos, Oriente e Santa Apolónia são as opções). Importante saber que: não é possível comprar esse tipo de bilhete urbano online, você precisa se informar sobre a linha do Sado e Setúbal está há 4 zonas de Lisboa.

Para quem for de moto ou carro, existe pedágio na volta (1,60 euros se você voltar pela ponte 25 de Abril e 2,60 se voltar pela Vasco da Gama).

Já falamos sobre aluguel de carro barato aqui: dicasdeportugal.com.br/aluguel-de-carro-barato-em-portugal/

Existem muitas praias nessa região (como disse optamos pelas principais porque a viagem era curta), mas nesse site você encontra a lista toda!

Se você já foi para Setúbal e tiver algo a acrescentar…fique super à vontade de comentar abaixo 😉

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

comentários

Juliana

Juliana

"Antes no Brasil, agora a morar no país que não usa gerúndio"